O que significa o "Gangnam Style"

;

O que é o Gangnam Style?

Para começar, temos que saber que Gangnam é um bairro de classe alta de Seul, capital da Coréia do Sul.


Lá não só vivem as pessoas mais ricas e influentes do país, mas também estão localizados as lojas mais caras e luxuosas da cidade, sendo um dos polos que mais cria tendências nacionais. A desigualdade é tanta que quase 7% do PIB do país está localizado nos quase 15 quilômetros quadrados dos bairro. Então, o Gangnam Style seria algo parecido com o Estilo Morumbi, ou o Estilo Leblon.

Mas muito se engana quem pena que Psy fez a música apenas para exaltar o estilo de vida luxuoso do local. Todo o clipe é uma divertida crítica ao modo de vida consumista da região. Além dos filhos de famílias ricas, acostumados com luxo e conforto, o bairro costuma a receber muitas pessoas que não possuem tanto dinheiro assim, mas tentam se passar por ricos e importantes.

Apesar de ter nascido no bairro de Gangnam, Park “Psy” Jaesang sempre se mostrou contra a tentativa dos frequentadores do bairro de parecerem mais chiques do que realmente são. O clipe inteiro gira em torno de um cara que se acha um figurão, mas o tempo todo se revela estar num lugar completamente diferente.

Quando pensamos que ele está numa praia, o clipe mostra que ele está num parquinho. Ao invés de andar de cavalo e jogar polo, ele anda num carrossel e brinca de cavalinho ( a coreografia mais bizarra e divertida dos últimos tempos). Ao invés de dança numa balada TOP ele dança num ônibus com turistas. Ele encontra a namorada dentro do metrô. Canta dentro de uma cabine de banheiro, sentado na privada. E assim por diante.

Uma das principais referências na letra da música que passa batido é a que envolve café. O cantor se vangloria de tomar seu café em um gole só e diz que quer uma mulher que beba o líquido e saiba aproveita-lo. A parada é que existe uma brincadeira no país com as mulheres que gastam pouco no almoço, mas que não poupam gastos na hora de tomar uma xícara de café.

Cafeterias como a Starbucks viraram sinônimo de alto estilo de vida graças a influência de seriados norte-americanos como Sex and the City, onde as mulheres fazem uma pausa em suas compras para conversar sobre amenidades tomando café.

Tudo gira em torno de como podemos parecer idiotas ao passar uma impressão de que somos ricos, por isso, pessoas melhores. Fazendo uma paralelo com a realidade brasileira, é só dar uma olhada na ostentação dos clipes produzidos pelo Kondzilla, onde os funkeiros exibem carrões, jóias, mansões e mulheres gostosas.

Dá uma olhada no menino de “Como é bom ser vida loka” exibindo garrafas de Red Label fechadas, enquanto duas mulheres dançam funk dentro de uma limousine em movimento. Ou na música do MC Pikeno e Menor que cita umas 10 marcas top de qualquer shopping.

É a mesma onda de quem fecha um camarote na balada ou paga R$200, R$300, em uma garrafa de vodka que custa no máximo 50 no mercado, só para pagar de figurão na balada. Se você for na 25 de Março vai ver a quantidade roupas da Hollister, Lacoste e Okley falsa que vende por lá. É gente que não tem um poder aquisitivo, tentando passar uma falsa impressão: o Gangnam Style brasileiro e vida loka.

Deixando a crítica social de lado, curti demais o trabalho do Psy, que fez um clipe divertido e com todo um significado por trás dele.


                     
           
   
0 comentários:
Postar um comentário